martes, 22 de marzo de 2011

Cacaso

indefinição

pois assim é a poesia:
esta chama tão distante mas tão perto de
estar fria.


*************


happy end

meu amor e eu
nascemos um para o outro

agora só falta quem nos apresente


*************


alquimia sensual

tirante meus olhos e mãos
quero me transformar em seu corpo
com toda nudez experiente
do passado e do presente

e naquela noite
entre suspiros
terei aguardado a hora incrível
de tirar o sutiã

2 comentarios:

Paulo Tamburro dijo...

CYNTHIA,

é verdade, às vezes encontramos, idelizaado amor, formaataado em sua essência, esculpido em nossa emoção, preparamo-nos e até nos encharcamos de perfume.

Porém, vai para a cobta dos aamores platônicos...

Você está certa, não o encontramos na real, e ninguém nos apresenta.

Ficamos assim, o dito pelo não feito, o não feito pela vontade.

Bem, restando a vontade, CYNTHIA, logo iremos repetir tudo de novo.

Ainda bem!

Um abração carioca.

PS. Sabe qual é a minha maior frutração?

É esta irremediável incompetência para fazer poesia.

Invejo você: Quer que eu minta?

Cynthia Lopes dijo...

Longe de mim, hehehe...
bjs